Conjunto Moderno da Pampulha será Patrimônio Mundial

 

igraja

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) divulgou que o dossiê de candidatura do Conjunto Moderno da Pampulha a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco) foi aprovado. A eleição será realizada em julho, durante a reunião do Comitê do Patrimônio Mundial em Istambul, na Turquia.

Inaugurado em 1943, em Belo Horizonte, o Conjunto Moderno da Pampulha – tombado pelo Iphan em 1997 – é resultado das ideias do arquiteto Oscar Niemeyer, com colaboração do engenheiro Joaquim Cardozo, e do paisagista Roberto Burle Marx. Também marcam o projeto painéis de Cândido Portinari e esculturas de Alfredo Ceschiatti.

Marcado por formas curvas, que exploram o potencial plástico do concreto, o conjunto é formado pela Igreja de São Francisco de Assis, a Casa de Baile, o Iate Tênis Clube, o Museu de Arte da Pampulha (antes Cassino), a residência de Juscelino Kubitschek, o espelho d’água e trecho da orla da Lagoa da Pampulha.

A igreja, incluindo suas obras de arte, foi o primeiro monumento moderno a receber proteção federal no país, com tombamento datado de 1947. Em março deste ano, o painel de azulejos pintado por Portinari foi pichado. Segundo o site G1, os trabalhos de restauração e limpeza custaram R$ 8 mil e as polícias militar e civil cumpriram dois mandados: um de prisão; outro de busca e apreensão.

Em maio, Oscar Niemeyer teve mais três obras tombadas pelo Iphan: o Museu de Arte Contemporânea de Niterói e a Passarela do Samba, no Rio de Janeiro, e o conjunto de edificações projetadas para o Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Elas complementam a relação, encaminhada pelo próprio arquiteto, de 24 monumentos protegidos desde 06 de dezembro de 2007 como patrimônio cultural brasileiro em homenagem ao seu centenário.

 
Fonte: ArcoWeb